quinta-feira, 17 de maio de 2012

TERRA UM PLANETA DE DOR


O homem está crucificado na matéria, e veio ao mundo para se libertar das impurezas da sua personalidade na chamejante cruz do sofrimento, este fogo sagrado que haverá de queimar as paixões humanas, a ruindade tão característica do terrícola, a maledicência tão presente no coração que   a fim de crescer na sua pequenez, esmaga o seu irmão. O ser humano ama a ambição desenfreada, o ódio causticante, a vilania do engodo, a mentira enganosa para aquisição do que por lei, não lhe pertence.
“Morrendo é que nascemos para a vida eterna!”
Sim! É necessário matar os espectros da maldade que habitam os pântanos escuros do subconsciente do ser humano. O homem não conhece a pureza do anjo, a bondade do santo, o fogo do guerreiro do bem eterno. E precisa ser crucificado no madeiro da dor, onde o fogo purificador haverá de pulverizar a parte ruim e sombria da sua personalidade.
A Terra é um cadinho onde o Ouro da alma precisa ser limpo, na chama estrepitosa da dor, para que a alma humana possa perder o miasma que empesteia o coração humano.
Não caminhes na estrada larga da ilusão, ó caminhante incauto, busca a vida simples do discípulo, que vai curando a sua dor, pelo fogo ardente de uma vida simples de um benfeitor que silenciosamente passa pela vida semeando bondades, com a tocha do ideal erguida ao alto, para mostrar ao mundo que o fogo do sofrimento, caustica e traz sofrimento na queima das impurezas, mas ilumina o percurso de volta à Casa do Pai Eterno.
Busca no teu coração a compaixão e a caridade, disse o doce Francisco de Assis, porque a vida heroicamente vivida entre a incompreensão deste vale de lágrimas, a ingratidão e a deslealdade sofrida com resignação, é o crisol que purifica o cáustico das imperfeições, no madeiro puro do fogo purificador, para que o Deus interno, possa se libertar da cruz que o encarcera  em si mesmo, na prisão da sua personalidade.
Por isso viestes para a Terra, enfrentar o fogo da vivencia humana, para limpar o teu interior, de toda impureza que enfeia teu ser, e é vivendo e demonstrando ao mundo que és um benfeitor da humanidade, para todos aqueles que o destino misericordioso fizer cruzar o teu caminho, assim possas tu curar a dor do teu irmão, e com isso, curar a tua própria dor.
Assim, como uma flor que desabrocha e doa a sua beleza seja tu também um semeador de beleza, um curador da enfermidade do teu irmão, que possas  iluminar a obscuridade, pisando nas farpas da indiferença alheia sem se magoar, caminhando pelos desertos da ingratidão, os espinheiros da malevolência, nos vales gelados do desamor das criaturas!...
Irmão, Irmã!
Erga a lamparina da fé, semeias roseirais em teu caminho!
Ó doce Jesus, amado sobre todas as coisas, mostra-me o caminho da redenção, fortaleça minha fé, meu coração estremece de angústia, quando vejo o caminho deserto e solitário que preciso percorrer, mas eu confio na tua misericórdia que haverá de me guiar nesta estrada de dor, que todos nós habitantes deste Lar Cósmico de redenção e temos que percorrer para buscar os Tesouros da vida Eterna!

Postar um comentário