terça-feira, 19 de julho de 2011

olograma do Equilíbrio (OCTAEDRO)


OCTAEDRO é um Símbolo Geométrico
formado pela união de duas Pirâmides
quadrangulares

Carregue esta forma geométrica
em sua consciência todo o tempo
para que você possa criar conforme
sua vontade ou conforme você precisar,
tanto para com você ou com as pessoas
que você está conectada.

Imagine-se
envolto por uma pirâmide de luz
que se espalha sobre você e uma
pirâmide abaixo de você, no sentido
invertido onde as bases se juntem.

Você se encontra no centro dela. Se você
estiver deitado, você está no quadrado
onde as bases se tocam. Você pode imaginá-
la do tamanho que você quiser desde que
você esteja envolto por ela. Se você estiver
de pé ou sentado, o vértice do octaedro
percorre o centro do seu corpo.

Esse
octaedro equilibra energia.

É o equilíbrio dos aspectos masculinos e
femininos da consciência É uma poderosa
ferramenta para equilibrar energias sutis.
Sugerimos que crie isso várias vezes ao dia
e de uma forma agradável. Faça isso várias
vezes para que essa forma possa ser criada
instantaneamente, à medida que você
precisar, sem pensar nela.

Um dos efeitos colaterais de energias caóticas
na terra é que, as forças magnéticas estão e
irão ser perturbadas. Isso tende a fazer com
que as pessoas se sintam irritadas, explosivas,
irracionais, depressivas, sobrecarregadas
e tendem a sustentar estados mentais,
emocionais e energéticos negativos.

Na sua imaginação, cubra toda essa área que
está perturbada, com a luz do Holograma,
e assim você estará emitindo vibrações
equilibradoras. Sob nosso ponto de vista,
essa é a forma com que você melhor pode
contribuir nesses tempos efêmeros e
turbulentos.

Outro aspecto que seria interessante que você
entendesse claramente é que, existem energias
negativas que buscam aumentar o caos, o
terror e as catástrofes.

Enviando hologramas
pra equilibrar essas áreas de conflito, você
estará transformando a energia negativa
em dádiva! Sugerimos que você se torne
mestre em usar esse holograma para seu
bem e para o bem da TERRA.

Colaboração: Claúdio Léo/Tom Kenyon
Postar um comentário