sexta-feira, 13 de julho de 2012

Olhar pra dentro


O ser humano vive na periferia das coisas, observa o exterior, analisa a superfície, e enxerga sempre o reflexo da realidade, nunca discerne o ser verdadeiro, o centro de força interior que é a própria vida inteligente.
Tudo que é visto e perceptível guarda dentro de si um comando interno, que alguns chamam de alma, espírito, ou um centro de energia que dirige. A Ciência Oculta afirma que tudo que existe tem alma, desde o átomo químico até o Universo. A matéria só existe porque tem a vida que a anima. Para a Sabedoria Eterna não há matéria inorgânica, tudo é regida por um centro de força, uma inteligência que pode ser rudimentar ou grandiosa.
O cosmos não é oriundo de forças cegas, e o ACASO, é apenas o desconhecimento das leis que regem o Universo. 
O homem deveria, mesmo que ocasionalmente observar o seu interior, e se o fizesse em profundidade, veria que há no seu íntimo A FONTE DA VIDA, que flui torrentes de luz, CHISPA silenciosa, que nenhuma convulsão exterior pode estremecer;  NÚCLEO DE PODER. AMOR E INTELIGÊNCIA, imorredouro e eterno, sem começo nem fim, ainda desconhecido porque o homem só conhece a periferia da matéria densa, desconhece a si mesmo!
O homem deveria observar o seu mundo interno, olhar para dentro de si mesmo, e observar o que se passa no seu íntimo, analisar a sua natureza, a razão dos acontecimentos, o significado da dor, muitas vezes, o inesperado que vem como um vendaval, o abismo do nada, as enfermidades que o afligem, a desilusão, o sentido da existência...
O cético desdenha a vida interior, endeusa a matéria, cria para si mesmo um mundo de ilusão, e um leito de lama onde deverá purgar os seus delitos, esquecido de que o Cosmos é um organismo vivo, inteligente, progressivo e coerente.
O ateu diz graças a Deus sou ateu, desdenha a perfeição de seu organismo, onde uma inteligência instintiva ordena e comanda, mantendo pela cooperação e harmonia das células orgânicas, uma fisiologia perfeita, onde a vida se enquadra dirigida por um objetivo desconhecido, porém ordeiro e benéfico.
O organismo cósmico não pode ter nascido do nada, guiado por forças cegas de um ACASO inexplicável pela razão.
O homem incapaz de entender a si mesmo, incapaz de decifrar os mistérios do Infinito, reduz tudo a NEGRA ESCURIDÃO, ou ao desconhecido.
Nem ao menos pode saber o que está além do limite do Universo, o ESPAÇO NÃO SE PASSA CÓSMICO!...
Nenhuma explicação, nenhum conhecimento, pode vir do mundo exterior, mas quando vem, é pelo caminho intuitivo, a FALA DO INVISIVEL

Postar um comentário