quarta-feira, 27 de julho de 2011

No Colo De Deus

No Colo De Deus!

Há um espaço e um tempo limitados
Como uma jaula e uma clepsidra
Onde está encarcerada a minha vida
Onde tenho que expiar os meus pecados.


Quando o tempo da ampulheta, que não espera,
Terminar… Termina também, enfim, o meu anseio.
Meu corpo regressa ao pó de onde veio
Para dar cor às flores da primavera.


Mas este ainda não vai ser o meu fim,
Porque uma pessoa não acaba assim…
Eu sou um homem de fé, eu acredito!


E que num momento de etérea calma
Deus virá pegar ao colo a minha alma
P’rá levar, com ele, até ao infinito!

Postar um comentário