quarta-feira, 27 de julho de 2011

Um poema Para - isa soares matos


Tu chegaste quando o sol já partia,
Naquela hora em que os casais se encontram,
A razão e a loucura se confrontam
No limiar do medo e da ousadia.


Convidei-te pra minha refeição…
Vi velas no brilho do teu olhar
Acesas sobre a mesa do jantar
Iluminando essa nossa emoção.


O que comemos, nem sei se comemos,
Que em profundos silêncios nos perdemos
Como quem enlouquece a pouco e pouco.


Nem sei sequer se te falei de amor
Naquele meu derradeiro estertor:
Última lucidez de quem está louco. 

Postar um comentário