quarta-feira, 27 de julho de 2011

VAMOS RESPEITAR O PÃO


VAMOS RESPEITAR O PÃO

                  Cândido

Para colher o pão, o pão que comes, 
Alguém trata da terra com amor
Rega a seara com o seu suor
Enquanto tu descansas e até dormes.

               
E as pintas vermelhas que tu vês
Entre a ceara a ondular ao vento,
Como oceano de oiro em movimento,
São papoilas de sangue camponês.

           
Sob o tórrido sol do mês de Junho,
Morenas, curvadas, de foice em punho
Vão as ceifeiras soluçar seus ais.

              
Restos de pão, deixado nas lixeiras,
Poderão ser lágrimas das ceifeiras
Ou átomos dos teus próprios pais!


Postar um comentário